Posts com Tag ‘matemática’

1 – O Número Mágico

O número 1089  é conhecido como número mágico. Veja por que:

Escolha qualquer número de três algarismos diferentes.  Por exemplo, 875.

Agora escreva este número de trás para frente e subtraia o menor do maior, assim:

875 de trás para frente é 578

Subtraindo o menor (578) do maior (875), temos:

875 – 578 = 297

Agora some este resultado com o seu inverso, assim:

297 + 792 = 1089  O NÚMERO MÁGICO!

Faça a experiência com qualquer número de três algarismos diferentes e verá que o resultado será sempre 1089.

2 – Curiosidade Com Números De Três Algarismos

Escolha qualquer número de três algarismos. Por exemplo: 234

Agora escreva este número na frente dele mesmo, assim:

234234

Agora divida por 13:

234234 :13 = 18018

Agora divida o resultado por 11:

18018 : 11 = 1638

Divida novamente o resultado, agora por 7:

1638 : 7 = 234

Viu só? O resultado é o numero de três algarismos que você escolheu: 234. Pode experimentar com qualquer outro número de três algarismos. O resultado será sempre o mesmo.

3 – Quanto Vale Um Centilhão?

Você conhece o milhão, bilhão, trilhão, quatrilhão, quintilhão, sextilhão… etc. Mas o maior número aceito no sistema de potências sucessivas de dez, é o centilhão, registrado pela primeira vez em 1852. Representa a centésima potência de um milhão (1.000.000100), ou seja, o número 1 seguido de 600 zeros.

Data Histórica: 20/02/2002

20 horas e 02 minutos de 20 de fevereiro de 2002 foi um instante histórico. Durante um minuto, houve uma conjunção de números que somente ocorre duas vezes por milênio:

20:02  20/02/2002

Esta é uma simetria que na matemática é chamada de capicua (algarismos que dão o mesmo número quando lidos da esquerda para a direita, ou vice-versa). A raridade deve-se ao fato de que são apenas os algarismos 2 e 0 e se você ler de trás para a frente, dá a mesma coisa:

20 02 20 02 20 02

A última ocasião em que isso ocorreu foi às 11h11 de 11 de novembro de 1111, formando a data 11h11 11/11/1111. A próxima vez será somente às 21h12 de 21 de dezembro de 2112 (21h12 21/12/2112). Provavelmente não estaremos aqui para presenciar. 

Depois, nunca mais haverá outra capicua. Em 30 de março de 3003 não ocorrerá essa coincidência matemática, já que não existe a hora 30.

4 – O Número Pi (p)

Se você pegar qualquer círculo, medir a sua circunferência (perímetro) e dividir o resultado pelo diâmetro desse círculo, vai encontrar sempre este número:

3,14

            Se você aproximar mais o número, vai achar:

3,14159

            Aproximando mais ainda, achará:

3.14159265358

            Se sua calculadora tiver espaço bastante, você poderá chegar a

3.14159265358979323846264

            Ainda dá para aproximar mais, chegando a:

3.1415926535897932384626433832795028841

            Mais um pouco e você chega a:

3,1415926535897932384626433832795028841971693993751058

            A essa altura, talvez você queira saber até onde vai essa aproximação. Aí, uma surpresa: vai até o infinito, não acaba nunca! Você passaria o resto da sua vida fazendo aproximações e jamais terminaria! Não importa o tamanho do círculo, ele pode ser enorme ou bem pequeno, o resultado será sempre este mesmo número, chamado de “pi” pelos matemáticos e representado pela letra grega p (lê-se “pi”). É a mais antiga constante matemática que se conhece. É um número irracional, com infinitas casas decimais. Em 1997, Y. Kamada e D. Takahashi, da Universidade de Tóquio chegaram a 51.539.600.000 (cinquenta e um bilhões, quinhentos e trinta e nove milhões e seiscentas mil) casas decimais. Só podia ser japonês pra fazer isso…

Fonte: http://www.vocesabia.net

Colaborador Emanuel

Fonte: http://www.gargalhando.com

Circula por e-mail uma mensagem que, descontadas pequenas variações, propõe mais ou menos a seguinte charada: “Pegue os últimos dois dígitos do ano em que nasceu e some com a idade que você vai ter este ano. O resultado será 111 para todos. Por que?”

Para pessoas nascidas no século passado, a conta bate – daí o espanto geral. Mas repeti o cálculo para minha sobrinha, nascida em 2010, e um furo logo veio à tona. A soma de 10 com a idade a ser completada este ano – 1 – resulta em 11, e não 111.

A tal mágica, portanto, é capenga – mas resta mostrar que não há mágica nenhuma.

Ninguém deve se espantar em saber que a soma da própria idade com o ano de seu nascimento resulta no ano corrente (ou no anterior, caso a pessoa ainda não tenha feito aniversário).

Mas a charada pede que se use a idade a ser completada em 2011. Assim, quem nasceu em 1980 e vai completar (ou já completou) 31 anos em 2011 terá, com a soma de 1980 + 31 = 2011.

Utilizar apenas a dezena do ano, como pede a questão, significa subtrair 1900 de 1980. Então, a conta fica assim:

1980 – 1900 + 31 = 111

De onde vem o 111, então? Simples: é o número que, somado a 1900, resulta no ano corrente  – 2011 -, como era de se esperar.

A atribuição de significado místico ao resultado 111 fica por conta de quem lê, já que no ano que vem essa mesma conta vai resultar em 112 – um número bem menos charmoso. Taí uma corrente que, felizmente, tem data marcada para acabar.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/blog/numeralia/

Faça o cálculo!

Resolva o Problema:

Eu, Tu e Ele… fomos comer no restaurante e no final a conta deu R$30,00.

Fizemos o seguinte: cada um deu dez reais…
Eu: R$ 10,00
Tu: R$ 10,00
Ele: R$ 10,00

O garçom levou o dinheiro até o caixa
e o dono do restaurante disse o seguinte:

– Esses três são clientes antigos do restaurante,
então vou devolver R$5,00 para eles!
E entregou ao garçom cinco moedas de R$ 1,00.

O garçom, muito esperto, fez o seguinte: pegou R$ 2,00 para ele
e deu R$1,00 para cada um de nós.

No final ficou assim:
Eu: R$ 10,00 (-R$1,00 que foi devolvido) = Eu gastei R$9,00.
Tu: R$ 10,00 (-R$1,00 que foi devolvido) = Tu gastaste R$9,00.
Ele:R$ 10,00 (-R$1,00 que foi devolvido) = Ele gastou R$9,00.

Logo, se cada um de nós gastou R$ 9,00
somando, juntos gastamos R$ 27,00

E se o garçom pegou R$2,00 para ele, temos:
Nós: R$27,00
Garçom: R$2,00
TOTAL: R$29,00

Pergunta-se:
Cadê o 1 Real???

Contamos com sua participação, deixe sua resposta nos comentários!!!

Introdução

Nós estamos acostumados e ambientados a utilizar um sistema de numeração chamado DECIMAL, pois utiliza 10 algarismos para representar todos os números conhecidos, quais sejam: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 0. Muitas histórias foram contadas a respeito, inclusive, uma suposta relação com os 10 dedos de nossas mãos, mas isso foge ao escopo desse artigo.

Ambos os sistemas (decimal e binário) são posicionais, isso significa que a posição ocupada por cada algarismo em um número altera seu valor. Quanto mais a esquerda, maior o seu valor e quanto mais a direita, menor o seu valor.

Antes de começarmos a entender e transformar números decimais em binários, precisamos recordar um assunto que estudamos no ensino fundamental, chamado de POTENCIAÇÃO.

A figura nos diz que devemos multiplicar o número da base (no caso 2), a quantidade de vezes que o expoente pedir (no caso 3). Exemplo: 2 x 2 x 2 = 8

Cada vez que somarmos 1 ao valor do expoente, o resultado será o dobro do resultado anterior. Dessa forma, chegamos a conclusão que para a base 2, ao aumentarmos gradativamente o expoente, chegaremos a uma sequência de números do tipo: 1, 2, 4, 8, 16, 32, 64, 128, 256 … etc.

Transformando decimal em binário

O sistema de numeração binária utilizado pelos computadores, por exemplo, utiliza apenas dois números para representar todos os números possíveis, são eles: 0 e 1, só pra lembrar “BI” é prefixo de dois. Agora observe a imagem abaixo:

A imagem nos mostra as potencias de 2 e logo abaixo seus respectivos resultados em representação decimal. Imagine a situação em que precisamos transformar o número 130 escrito em decimal para a forma binária. Para isso precisaríamos do 2 e do 128 (que somando 2 + 128 = 130), respectivamente 2° e 7° bits. Os bits que forem utilizados recebem o valor 1 e os que não forem utilizados recebem o valor 0, portanto 130 decimal em binário seria 1 0 0 0 0 0 1 0.

Vamos a mais um exemplo. Transformar 191 escrito em decimal para a forma binária: Vamos precisar do 1, 2, 4, 8, 16, 32 e 128 (que somando 1 + 2 + 4 + 8 + 16 + 32 + 128 = 191), respectivamente 1°, 2°, 3°, 4°, 5°, 6° e 8° bits. Portanto, 1 0 1 1 1 1 1 1, observe que o 7° bit não foi utilizado e recebeu o valor 0.

Lembre-se que os sistemas são posicionais, quanto mais a esquerda maior será o número. Os bits são numerados da direita para a esquerda. Você sabia que é perfeitamente possível realizar operações matemáticas com os números binários, mas isso é uma outra história.

Créditos à tonyrecife – viva o linux.

Fonte: http://www.vivaolinux.com.br