Posts com Tag ‘civil’

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

Fonte: http://pilandia.com.br

AutoCAD 2012No ultimo dia 26 de março de 2011, a versão 2012 do AutoCAD foi lançada. Como era de se esperar, veio melhorias em recursos existentes e mantido o formato DWG do AutoCAD 2010 e 2011 nesta nova versão (a famosa compatibilidade binária).

Usuários do AutoCAD a partir da versão 2009, não devem ter surpresas que dificultem o uso. Uma das maiores mudanças do AutoCAD nos últimos anos foi a implementação da interface “Ribbon” (preservada nesta versão), que apesar de poder ser revertida assusta um pouco quem estava acostumado com a interface clássica.

Nada de mudança radical, a interface do programa é praticamente a mesma da anterior e para quem não tem costume de explorar recursos não deve ver grandes diferenças logo nas primeiras utilizações.

Comandos básicos como de produção de desenho, edições de layers, dimensões etc… continuam praticamente intocáveis no que diz respeito a interface das janelas e a mecânica de funcionamento destes.

Alguns novos recursos e melhorias do AutoCAD 2012

Auto CompleteExemplo de uso de auto completar comandos no AutoCAD 2012, onde ao digitar PE são listados os comandos que iniciam com esta nomenclatura.

Dentre as melhorias, algo que pode ser facilmente percebido é o recurso “Auto complete” (imagem acima), que mostra opções de comandos conforme se digita o mesmo. Esta novidade é algo de fato simples, mas produtivo, ajuda sobretudo para quem usa atalhos pelo teclado para entrada de comandos.

Associative Array, ou simplesmente Array Associativo, é o uso do comando array onde objetos podem ser associados a uma determinada geometria. Exemplo, distribui-se blocos ao longo de um arco, na medida que se altera o arco em sua dimensão ou angulo, os objetos são reajustados de acordo com o resultado final da edição do arco.

Comandos Fillet, Chamfer, Blend, e Join melhorados. Agora você pode ter uma prévia de como ficará o desenho antes de aplicar o comando. Um exemplo (figura abaixo) é quando se aplica o fillet em duas linhas para formar o arco no encontro das mesmas, ao posicionar o mouse no segundo objeto da seleção pode-se ver a projeção do arco como ele ficará.

Fillet AutoCAD 2012Neste exemplo de uso de do comando fillet no AutoCAD 2012, após selecionada a primeira linha basta posicionar o mouse na segunda para ver a prévia e decidir se o comando deve ser aplicado.

Mais formatos podem ser utilizados com a importação modelos 3D de como CATIA®, SolidWorks®, Pro/ENGINEER® e outros.

Alguns vídeos (como abaixo) foram disponibilizados de forma oficial pela autodesk no youtube e mostram algumas funcionalidades.

O que há de novo!

Apresentação de interface


Download da versão de teste

Quem desejar testar o novo AutoCAD 2012, está acessível pelo mesmo link das versões anteriores, o autodesk.com/autocad-trial. Vale ressaltar, que a cada novo lançamento do AutoCAD a Autodesk tem retirado desta página as versões anteriores, assim, você deve ver neste link o download do 2012 até que uma nova versão (talvez um AutoCAD 2013) seja disponibilizada.

A versão de teste funciona por 30 dias e você precisa preencher um cadastro antes de baixa-la. Ela funciona paralelamente com outras versões do AutoCAD sem afeta-las, isto significa por exemplo que se tem o AutoCAD 2010 instalado e desejar testar este, pode faze-lo sem problemas, e após o período do teste se decidir pode desinstalar a versão “trial”.

Fonte: http://www.aditivocad.com/

Para criar o fibrocimento, o pesquisador utilizou um processo chamado extrusão, método alternativo para a produção do material cimentício. Imagem: Ronaldo Soares Teixeira

Na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) os resíduos da indústria sucro-alcooleira – fibra do bagaço de cana-de-açúcar e as cinzas resultantes da queima do bagaço em caldeiras – estão sendo aproveitados na produção de fibrocimento, material de construção usado na fabricação de produtos como telhas, caixa d’água e divisórias.

O método consiste em substituir alguns dos componentes que formam o fibrocimento pela fibra do bagaço da cana e pelas cinzas.

Segundo o pesquisador Ronaldo Soares Teixeira, autor do trabalho, a intenção foi buscar uma nova forma de aproveitar esses resíduos, normalmente descartados pela indústria sucro-alcooleira.

“Eles normalmente são subaproveitados. Parte do bagaço é queimada em caldeiras, tornando-se cinzas; o bagaço até tem outros empregos, como nas rações para animais, mas a maior parte é descartada”, comenta o pesquisador. Ele estima que, de cada tonelada de cana-de-açúcar processada, 260 quilos são transformados em bagaço.

Fibrocimento alternativo

Normalmente, o fibrocimento é composto por cimento, sílica ativa, água, polpa celulósica como reforço secundário e fibra sintética, como PVA e PP (tipos de plástico).

O estudo de Teixeira utilizou a fibra do bagaço de cana como um reforço na produção de fibrocimento, enquanto as cinzas substituíram 30% do cimento em massa.

“A cinza apresenta grande concentração de sílica, que tem comportamento de cimento pozolânico. A cinza, em contato com a água e em conjunto com cal hidratada, forma um composto aglomerante, ou seja, ela endurece”, explica Teixeira.

Após vários testes, o pesquisador comprovou que o fibrocimento produzido com resíduos sucro-alcooleiros é viável e apresentou resistência similar ao material produzido nas indústrias. O fibrocimento da pesquisa passou por dois processos de cura (endurecimento).

Com isso, o pesquisador testou a resistência do material sob condições de calor e umidade, simulando exposição a sol e chuva. “A fibra passou por tratamento químico (à base de silicato de sódio e sulfato de alumínio) com a intenção de diminuir a absorção de água e assim diminuir a degradação da fibra”.

Extrusão

Para criar o fibrocimento, o pesquisador utilizou um processo chamado extrusão, método alternativo para a produção do material cimentício. Teixeira explica que a máquina, chamada extrusora, contém uma rosca sem fim dividida em três câmaras: mistura, pressão negativa e compressão. Na extremidade da rosca, encontra-se a boquilha, que promove a compactação final da mistura e forma a geometria do produto.

O método de extrusão para criar o fibrocimento é inédito no Brasil.

“Quando se coloca a mistura dos componentes do fibrocimento na extrusora, a rosca sem fim faz a massa fluir sob pressão crescente através das câmaras, forçando-a sair no formato que se desejar, formando o fibrocimento”, detalha.

O pesquisador diz que o método foi usado somente para fins acadêmicos, sem pensar em sua adequação para as indústrias, num primeiro momento. “A extrusora normalmente é utilizada na indústria de cerâmica. Na pesquisa, ela foi adaptada para produzir fibrocimento”, acrescenta.

Fonte: http://www.inovacaotecnologica.com.br

O papelão oferece uma solução rápida e segura para construções de apoio nos canteiros de obras, pequenos depósitos e e outros “puxadinhos”. Imagem: Ag.USP

O uso do papelão na construção civil pode representar uma alternativa que proporciona mais rapidez na obra, e com um processo mais leve e salubre.

Se não diretamente para moradias, o material oferece uma solução rápida e segura para construções de apoio nos canteiros de obras, pequenos depósitos e outros “puxadinhos”.

Reciclagem fácil

A utilidade e a segurança do papelão para a construção civil estão sendo demonstradas por pesquisas que estão sendo realizadas no Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), da USP.

De acordo com a pesquisadora Gerusa Salado, os estudos com o papelão já vêm sendo desenvolvidos no Japão. “No Brasil, esse tipo de pesquisa ainda é inédito,” afirma.

A escolha do papelão levou em conta critérios como reciclagem e produção de celulose e do próprio papelão, matérias-primas abundantes no Brasil.

“O papelão, além do fato de poder ser reciclado várias vezes, não precisa de um grande processo de transformação para a reciclagem. Basta triturá-lo e misturar com água”, descreve Gerusa.

Construção experimental

Para testar a eficácia do uso do papelão na construção civil, os pesquisadores construíram uma célula-teste.

Esta “construção experimental”, como foi denominada, possui o formato de um cubo medindo cerca de 3x3x3 metros (m), equivalente a um volume de 27 metros cúbicos (m3). Em uma de suas paredes há uma janela. Na outra, uma porta.

Gerusa explica que as outras duas paredes são “paredes cegas”, ou seja, sem qualquer tipo de abertura. Inicialmente, a pesquisadora desenvolveu na célula-teste as vedações, que são o objeto principal de sua pesquisa.

Gerusa conseguiu construir uma parede de 1 m linear, com tubos de 10 cm de diâmetro, sem resina ou impermeabilizantes.

A estrutura, segundo ela, resistiu até 5,0 toneladas. Utilizando a resina impermeabilizante, a mesma estrutura teve sua resistência aumentada, suportando até 6,0 toneladas.

Esta mesma resina também torna o material resistente às chuvas e à umidade. “Nossa construção experimental tem resistido a todas as fortes chuvas desses últimos tempos”, conta a pesquisadora.

Em relação ao fogo, ela alerta que o material ainda precisa ser avaliado em relação ao tempo que o papelão pode levar para ser incinerado e se o fogo pode se extinguir sozinho – estes testes são realizados em laboratório e seguem normas técnicas nacionais e/ou internacionais. “Sabemos que todos os materiais de construção são suscetíveis ao fogo, mas neste caso, precisamos averiguar se o tempo de propagação de um incêndio acidental possibilita que os usuários desocupem a edificação”, diz Gerusa.

Vantagens das construções de papelão

Os estudos realizados já têm dado frutos, segundo a pesquisadora. “Já é certeza que a estrutura poderá ser aplicada em edificações térreas”.

O intuito das pesquisas, segundo Gerusa, é que a estrutura possa vir a ser utilizada para habitações ou não, além de outros tipos de construções como edifícios, como uma possibilidade de substituição de materiais de alvenaria.

Entre as principais vantagens na utilização do papelão na construção civil, Gerusa destaca o uso de uma fundação apenas superficial e não subterrânea, pois a construção é leve. A construção de imóveis com este material é bem mais rápida do que os métodos convencionais porque é feita num sistema construtivo pré-fabricado.

“Além disso, os tubos de papelão são ocos, facilitando a instalação dos sistemas hidráulicos e elétricos, não havendo necessidade de quebrar paredes. Todo o processo é limpo e salubre podendo ser desmontado e remontado a qualquer tempo”, garante a pesquisadora.

O custo de uma parede de papelão em relação à de alvenaria convencional por enquanto é proporcional, mas Gerusa lembra de alguns fatores que podem torná-lo um potencial material concorrente à alvenaria, como impostos adequados a construção civil, produção não só dos tubos, mas também de módulos pré-fabricados em larga escala.

Fonte: http://www.inovacaotecnologica.com.br

Um estudo da Exame/Heidrick & Struggles revelou quais as melhores empresas para trabalhar em Portugal em 2010. Nas 100 melhores encontram-se 14 empresas de construção:

4º – Ramos Catarino (ME)
11º – Conduril (GE)
14º – Grupo Lena (GE)
18º – Ferrovias e Construções (ME)
26º – Lúcio da Silva Azevedo e Filhos (ME)
33º – Procme (GE)
35º – Grupo Soares da Costa (GE)
40º – Zagope (GE)
41º – Alberto Couto Alves (GE)
45º – Construções Europa Ar-Lindo (ME)
46º – Grupo Domingos da Silva Teixeira (GE)
49º – Tecnovia Açores (GE)
59º – FDO Construções (GE)
74º – Opway (GE)

Fonte: http://engenhariacivil.wordpress.com

Um hotel com uma arquitectura muito original tornou-se ponto de atracção turística na cidade holandesa de Zaandam, avança o jornal «Globo».

A construção não passa despercebida a quem vagueia no centro da cidade e muitos vão de propósito para observar o edifício do designer Wilfried van Winden, que imita 70 casas tradicionais empilhadas na vertical umas sobre as outras.

O Inntel Hotel de 11 andares acaba de abrir as portas e oferece aos interessados 160 quartos temáticos bastante coloridos.

Fonte: http://engenhariacivil.wordpress.com

Passa Pro Engenheiro!!

Publicado: 24/03/2011 por Eluan em Humor, Sem Categoria
Tags:, , ,

FAIL!!!!!!!!!!!

Fonte: youtube

Nada como os bons cursos de Engenharia à Distância…

A casa de cima deve ser da Sogra ;P

Projetada para Anorexicas

Mijador Coletivo (Eu hein!)

Cagador Coletivo (Eu Hein!²)

Leve erro de cálculo…

O Verdadeiro “Trono”

Tá? Pra que serve? Huehuehuehue

Post especialmente para o pessoal da Engenharia Civil que faz matérias conosco e que tem o notebook dando Despejo de Memória no meio da aula ;p

Fonte: Intuito Web