Japão planejava ataque biológico nos EUA durante Segunda Guerra Mundial

Publicado: 14/05/2012 por Eluan em Engenharias, Notícias
Tags:
Camisetas Personalizadas você encontra aqui! FRETE GRÁTIS

Camisetas Personalizadas você encontra aqui! FRETE GRÁTIS

 

 

Quando o assunto é Segunda Guerra Mundial, é impossível não citar os campos de concentração nazistas e os horrores cometidos contra os judeus e outras etnias. Mas o Japão, que sofreu igualmente com os bombardeios atômicos, também cometeu algumas atrocidades que permaneceram secretas por muito tempo.

Segundo o io9, a história é a seguinte: dentro do Exército Imperial Japonês, estava concentrada a Unidade 731, um grupo de soldados e pesquisadores que tinha como foco a guerra química e biológica. Entre os planos do batalhão, estava até mesmo o lançamento de bombas incendiárias em florestas norte-americanas e um ataque kamikaze que lançaria bactérias de peste em portos do país.

Mas as ideias da Unidade 731 não ficaram só na teoria. Depoimentos e documentos revelados apenas recentemente indicam que vilarejos da China receberam potes de arroz com pulgas que carregavam pragas, causando a morte de centenas de milhares de camponeses indiretamente. Os ataques aconteceriam em 1945, mas foram impedidos pelos bombardeios de Hiroshima e Nagasaki e a posterior rendição do Japão, o que obrigou a equipe e desmontar suas instalações.

O pior é que muita verba do governo japonês foi destinada à Unidade 731 – o próprio Imperador Hiroito vivia impressionado com os conhecimentos de Ishii e seus equipamentos de filtragem de água. Há alguns anos, de acordo com o Daily Mail, os sobreviventes que não foram presos ou condenados começaram a testemunhar contra os crimes.

Campos de concentração

Um dos laboratórios, hoje aberto ao público.

Foram confirmados ainda vários experimentos com prisioneiros de guerra e cobaias russas, chinesas e norte-americanas. Comandadas pelo militar e físico Dr. Shiro Ishii, o homem por trás da Unidade 731, as centenas de atrocidades cometidas não devem em nada para o que conhecemos como obras nazistas: dissecações e retirada de órgãos para estudo, injeção de vírus e bactérias para acompanhar a evolução de doenças, inseminações forçadas e outras bizarrices escondidas por um pano de fundo científico.

Fonte: tecmundo.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s