Oração do cálculo!
Pai dos cálculos que estais no céu
Derivado seja vossos cálculos
Venha à nós a sabedoria
Seja respondida todas as perguntas
Assim nas provas como nos trabalhos
O entendimento da aula dai-nos hoje
Perdõe nossas colas
Assim como nós perdoamos a incompreensão dos professores
Não nos deixe ficar de DP
Livrai-nos do “branco”
Amém!

Poema de Cálculo
Aula De Cálculo

Limites, integrais, derivadas parciais.
Nada me assusta mais…
Nem o volume do parabolóide
(que eu nunca encontro,
e por isso, creio, sou um debilóide).
Surgem X, Y, Z´s e também a, b, delta, teta  e pi´s
Ahhhh!!! Esse monte de alfabetos me dá arrepios.
Sou um troiano sob o fio da espada grega…
Prisioneiro acorrentado a senos e cossenos,
Jogado a um canto escuro da regra da cadeia.

Sempre me perco, não tenho as coordenadas
Polares, cartesianas, cilíndricas como aliadas.
Sou um pobre demente atado a uma cama com correias.
Sendo dopado com doses duplas e triplas de antiderivadas.
Meu enfermeiro, um vetor unitário em R3, me odeia…
E se nem com pontos de máximo e mínimo traço um gráfico.
Suicido-me, friamente, com a ponta seca do compasso.
Meus colegas contemplam meu corpo e invejam minha paz.
Limites, integrais, derivadas parciais.
Nada me assusta mais…

Fonte: engenhariaehfoda.blogspot.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s